Cidades HistóricasCidade é um conjunto de pessoas que vivem num determinado local. Para chegar ao nível de cidade, o ajuntamento deve ter organização política: estatísticas a respeito da população, as leis e onde haja recebimento de água canalizada, iluminação pública, sistema de esgoto e afins. As cidades são repletas de pessoas e funciona no mesmo ritmo, assemelhando-se a uma engrenagem.

O ciclo que engloba uma série de comércios, indústrias, arte, cultura e, evidentemente, as pessoas – a peça mais importante de toda e qualquer cidade. Existem cidades enormes e cidadelas, porém, cada uma possui características marcantes, que as fazem ser lembradas. Dependendo da situação, em nível mundial. As coisas que ficam na memória se tornam parte da história. E o início dos aglomerados foi há muito tempo.

As Primeiras Cidades Históricas

Uma das primeiras cidades nasceu na Mesopotâmia. Como dito no primeiro parágrafo, uma cidade só pode se considerar tal, no momento em que possui uma estrutura política e legislativa. A cidade de Ur, criou um estatuto que permeou vigente por vários anos. Ela era habitada por um povo chamado de caldeus e é de onde o patriarca da religião judaica, Abraão, saiu. O código de Hamurabi, a mais antiga lei, foi utilizada nessa região.

Muitas cidades são tombadas para preservar os seus bens e valores históricos. Elas entraram em destaque no decorrer da história, é o caso de Roma, capital da Itália. Lá, existem monumentos interessantes como: a Torre de Pisa, Coliseu, as construções da igreja católica. Roma é conhecida como a Cidade Eterna, será sempre lembrada. Portanto, é uma cidade histórica.

No Brasil, temos a cidade de Ouro Preto, em Minas Gerais. Ela é considerada como Patrimônio Mundial da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), como Cidade Histórica de Ouro Preto. É o resultado da união de arraias fundada por bandeirantes, no século XVIII. Lá, encontram-se muitos monumentos, quase todas as igrejas construídas com a arte barroca.

Episódios da história de certo país se passam pelas cidades consideradas históricas. Lugares construídos há vários séculos e que ainda encontram-se intactos. Hoje, as cidades históricas servem para a educação, lazer e apreciação. Elas ajudam um pesquisador em seus estudos, por exemplo, de como era feita a arquitetura do local, ou traz de volta a imagem da antiga sociedade. Enfim, o rumo que deseja tomar. Mas uma coisa é certa: sempre é bom visitar e conhecer a história das cidades.

Cidades Históricas do Mundo

Roma - Itália

Roma é uma cidade histórica. Conhecida como Cidade Eterna, ela tem construções que refletem o passado do povo romano. Foi um período em que o Império Romano tinha sob seu controle boa parte do Mediterrâneo. O imperador Caio Júlio César Otaviano Augusto, iniciou alguns projetos de construção da cidade. Ela contava com mais de 500 mil habitantes, chegando a aproximadamente 3,5 milhões - esse índice oscilava.

Coliseu RomaO Fórum de Augusto é um dos monumentos que até hoje se encontra na capital da Itália. Porém, agora, está em ruínas e a lembrança que ele traz é da vitória dos romanos sobre os fenícios na província de Cartago e os gregos na cidade de Corinto. Além disso, o monumento é dedicado ao deus da guerra, Marte, o mesmo Ares, dos gregos.

Os romanos procuravam se estruturar. O Teatro de Pompeu construído por Gneu Pompeu Magno, general, que hoje se encontra em ruínas, foi construído em 55 a. C. De acordo com estudiosos, esse monumento foi edificado apenas para a popularidade de um novo império que se reestruturava. Simultaneamente, houve a conclusão do jardim central e o local de encontro dos senadores.

A construção do Coliseu aconteceu entre os anos 70 e 90 d.C.. Anfiteatro Flaviano é outra denominação desse monumento. Vespasiano deu o pontapé inicial para erigir o anfitrião dos grandes espetáculos, entretanto, Tito, cerca de 10 anos depois o inaugurou. O Coliseu recebia combates de gladiadores e caça de animais selvagens: leões, leopardos, panteras. Um símbolo da história de Roma.

Atenas - Grécia

Fundada no século VIII a. C., Atenas era uma cidade diplomática e principal da Grécia Antiga. Atenas recebia pessoas de todas as regiões do mundo. Péricles era um dos líderes democráticos de Atenas e começou a construção do maior símbolo da cidade ateniense, o Partenon. Os gregos entraram na chamada Era de Ouro (500 a. C. até 300 a. C.), que os elevou ao patamar de centro cultural e intelectual do mundo. O período de glória de Atenas durou até a chegada do Império Bizantino.

Cidades da GréciaAtenas é marcada por sua acrópole (construção executada em pontos elevados), edificada numa colina bem alta. Faz parte do Patrimônio Mundial da UNESCO e o estadista Péricles também foi o responsável pelo projeto idealizador da acrópole. Além disso, tomou a frente do projeto de um dos templos da cidade: o Erecteion – casa da deusa Atena, de Poseidon e de Erecteu, rei de Atenas na mitologia grega. O Teatro de Dionísio, principal palco dos espetáculos da antiguidade, período da Grécia Antiga.

O Teatro de Dionísio havia entrado em ruínas, porém, o imperador Nero, de Roma, organizou a reforma. O palco dos grandes espetáculos é mais uma das construções de Péricles e tem capacidade para 17 mil espectadores. De acordo com especialistas do ramo artístico, o teatro foi o local onde se iniciou o gênero da tragédia e a expansão dessa arte no mundo ocidental. As artes cênicas eram apresentadas também, no Odeão de Herodes Ático. Esse antigo teatro, hoje em ruína, comportava cinco mil pessoas.

Jericó – Israel

Cidade JerusalémEm Israel encontramos uma das cidades mais antigas do mundo, Jericó. Ela tem uma história muito rica. Essa região abrigava assentamentos há 9000 a. C. Logo, seguiu-se a expansão: a construção de novos assentamentos. Ela foi destruída cerca de 1500 a. C. e fundaram novamente por volta de 900 a. C. No século VIII a. C., os exércitos da Assíria e da Babilônia entraram no território de Jericó e ela ficou desabitada por mais de 40 anos. Nesse período, a cidade se encontrava sob o poder do império babilônico.

Jericó foi fundada novamente por Ciro, o Grande, rei da Pérsia. Os habitantes da cidade estavam exilados e voltaram com a refundação. O império persa administrou o território, na época do reinado de Alexandre, o Grande, século III a. C. A cidade ficou sob a liderança helenista, que edificou fortificações contra possíveis ataques dos judeus rebeldes. Herodes, o Grande reforçou as proteções da cidade.

A cidade passou pelo domínio árabe, a dinastia omíada, abássida e fatímida. Jericó era conhecida como a Cidade das Palmeiras e era rica em cana de açúcar, bananas e enxofre. De 1517 até 1918, o território foi dominado pelo império Otomano (turcos). Por um largo período, Jericó se tornou uma província bastante vulnerável. Além desses conflitos, Jericó passou por fases marcantes. Uma delas, a queda dos muros, descrita no livro de Josué, no Antigo Testamento da Bíblia Sagrada. Jericó era a famosa terra prometida. Ela está localizada na Palestina.

Biblos - Líbano

A cidade de Gebal (nome original), situada na Fenícia, atual Líbano, comercializava o papiro egípcio com os gregos. A mercadoria chamava-se byblos. Sua população começou a se desenvolver no período Neolítico, em que as primeiras civilizações se posicionavam à beira dos rios e utilizavam da agricultura. Isso, por volta de 10.000 anos atrás. Biblos fica a cerca de 40 quilômetros da capital da libanesa Beirute.

O povo de Gebal ou Biblos, no período de 1200 a. C., criou o alfabeto com 22 letras que temos hoje – provavelmente serviu de base para o alfabeto hebraico, aramaico, arábico e, provavelmente, o grego. Um dos indícios está demonstrado no Sarcófago de Ahiram, rei fenício de Biblos, que apresentava escritos nas bordas e na tampa do caixão. O comércio da região era muito forte, devido à aptidão dos fenícios na confecção de embarcações.

Damasco - Síria

Teatro IslâmicoA capital da Síria está classificada entre as cidades mais antigas do mundo. As três que disputam esse título são: Jericó, Biblos e a própria Damasco. Os árabes do califado de Omíada (primeira dinastia dos califas de Maomé) foram os primeiros a colonizar a região, cerca de 2000 a.C. A terceira dinastia, os Abássidas, trocou a sede do poder islâmico para Bagdá, capital do Iraque. Damasco é repleta de patrimônios culturais de várias culturas.

A Mesquita de Umayyad foi erigida em 705 d. C. e marca o período de passagem dos árabes islâmicos pela região. De acordo com as escrituras sagradas, o Apóstolo Paulo passou, em uma de suas viagens missionárias, por Damasco. Fizeram por lá, uma capela chamada de Capela de São Paulo, um patrimônio histórico cristão. Na cidade, existem construções do império Otomano, dos turcos, e o Mausoleu (tumba) de Saladino, sultão do Egito e da Síria, edificado no ano de 1193.

Beirute - Líbano

Há cerca de 1000 anos a. C., Beirute foi fundada pelos fenícios, mais tarde, ocupada pelos bizantinos, gregos e romanos. Depois de catástrofes naturais – terremotos – a cidade de Beirute começou a declinar em todos os aspectos, voltando se estabilizar apenas com a posse dos árabes, no século VII. Ela foi coloniza por diferentes povos: os egípcios, turcos, árabes. Os cristãos e muçulmanos disputavam as terras a capital do Líbano.

Beirute é dividida entre cristãos e muçulmanos. Esse fato se deu no século XX, quando os ingleses e franceses ocuparam as terras libanesas. E em 1980 houve a partilha entre as duas religiões. Por muito tempo, no período do império Otomano, na Idade Média, a cidade foi uma potência no ramo do comércio nas navegações. Aquela região era composta por portos de tecnologia avançada.

Jerusalém - Israel

A Cidade de Paz, do hebraico ou A Sagrada, do árabe é uma cidade muito importante, tanto para os judeus, quanto para os cristãos e muçulmanos. Jerusalém possui uma riqueza muito grande, principalmente no quesito religião. Existem várias estruturas dos tempos antigos que marcam a história dessa cidade tão disputada. O Muro das Lamentações, a única parte que restou do templo de Herodes e o local de adoração dos adeptos da religião judaica. Templo esse, que substituiu o orgulho dos judeus – o Templo de Salomão ou Primeiro Templo. Hoje, o muro serve para as preces judaicas. Eles colocam papéis com pedidos de oração nas fendas da parede.

Houve dois grandes templos. O primeiro foi destruído pelo rei da Babilônia (atual Iraque), Nabucodonosor II, cerca de 500 a. C. O Segundo Templo, derrubado pelo imperador Tito, que poupou apenas o Muro das Lamentações.

Outros pontos religiosos, agora para os muçulmanos e judeus, é a Esplanada das Mesquitas e a Mesquita de Al-Aqsa – essa, apenas para os praticantes do islamismo. A cidade de Jerusalém é bem disputada, pois há briga entre as religiões. Todas as regiões querem parte desse local, por causa de seu valor espiritual. Para os cristãos, o Santo Sepulcro e a Cúpula da Rocha marcam a passagem de Jesus Cristo na Terra.

Cuzco - Peru

Cuzco PeruDe acordo com o Congresso ocorrido em La Plata, na Argentina, a cidade de Cuzco foi considerada como “Capital Arqueológica da América”. É classificada assim por causa de suas antigas civilizações incas, que habitavam há mais de 3000 anos. Um patrimônio histórico inestimável, reconhecido pela UNESCO. Fundaram a cidade de Cuzco, em meados do século XIII. Além dessas cidades, existem outras mais recentes. No Brasil, a primeira colônia foi a capitania de São Vicente, fundada em 1532. Os mexicanos têm a cidade de Ticul, a cidade mais antiga das Américas, século VII a. C. A cidade de Cholula abriga a famosa pirâmide com o mesmo nome da cidade. Tula, outra cidade do México, foi fundada no século IX, o povo que habitava lá eram os toltecas.